TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Será Dilma capaz de botar ordem nas contas?

Será Dilma capaz de botar ordem nas contas?
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
Foi um deus nos acuda a notícia de que o governo do Brasil é outra vez considerado um devedor de risco, talvez mau pagador. Pode ter passado a impressão de que ocorreria uma catástrofe no dia seguinte.
Como o dólar não subiu muito mais além das alturas em que estava, parece que não aconteceu grande coisa.
Mas aconteceu e está acontecendo. Os grandes bancos acreditam agora que o dólar vai a pelo menos R$ 4 até o final do ano. Só pra lembrar. O dólar está em R$ 3,87. Faz um ano, custava R$ 2,30. Um aumento de quase 70%.
Se nada mudar radicalmente no governo da economia, o dólar continua subindo, para R$ 4,30 no ano que vem, no mínimo.
Não é apenas a viagem para o exterior ou o produto importado que vão ficar mais caros. Tudo o que o Brasil vende no exterior vai ficar mais caro, até a carne.
Assim, as previsões de inflação do ano que vem voltaram a subir. Previa-se a que a inflação cairia para uns 5% em 2016, até a semana passada. Agora, a previsão é de 6,5%. Assim, os juros influenciados pelo Banco Central não caem. Além do mais, o dólar é apenas um dos sintomas da piora financeira. As taxas de juros de empréstimos de longo prazo negociadas no mercado financeiro continuam a disparar.
Assim, a economia não cresce. Os economistas do banco Itaú preveem agora recessão de quase 3% este ano e de 1% no ano que vem. Se confirmadas as previsões, o Brasil terá o pior triênio de crescimento desde a hiperinflação do final do governo Sarney, de 1988 a 1990.
Não vamos ter hiperinflação, claro que não é isso. Mas vamos ter pelo menos três anos de queda da renda média do país, da renda per cabeça, vamos ter provavelmente desemprego de 10% no ano que vem _no ano passado, chegou a apenas 5%.
O futuro não está escrito em pedra, muito menos em previsões de economistas. Dá para mudar a situação, dá pare remediar, dá para vira parte do jogo. Mas dependemos da capacidade de Dilma Rousseff de botar ordem nas contas do governo. É nisso que é mais difícil de acreditar.

Veja também