TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Sem apoio político, é difícil recuperar economia

Sem apoio político, é difícil recuperar economia
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
Em abril, o Brasil deu uma respirada do tumulto na economia e na política do início do ano.
Em maio e junho, a economia no entanto deu uma piorada além do previsto. Na política, a presidente Dilma Rousseff perdeu mais apoio. Agora, seu partido, o PT, condena a política econômica, oficialmente.
O que piorou? Basta ver as notícias da semana.
Em abril, o total dos salários pagos nas grandes metrópoles tinha caído 3,6% sobre abril do ano passado. Em maio, a queda foi maior: 5,7%. A inflação e o desemprego estão derru bando os salários.
A inflação prevista para este 2015 já tinha subido muito, de 6% no início do ano para uns 8%, por causa do tarifaço na conta de luz, gasolina, água, ônibus etc. Mas a coisa piorou. Agora, até o Banco Central prevê inflação de 9% neste ano. E não deve parar por aí. Como resultado, o Banco Central confirmou que vai aumentar ainda mais os juros. Mais recessão.
O governo precisa arrumar suas contas. Faz um mês, previu que a receita de impostos subiria 5% neste ano. Desilusão. Até maio, a receita caiu 3%. Não vai ser possível poupar como imaginado, na meta. Não tem o que poupar, o dinheiro não entra. Logo, além da piora do humor econômico, isso vai dar em mais aumento de imposto.
Para completar, o Congresso está solto, aprovando aumentos de gastos, como na Previdência, sem dizer de onde vai sair o dinheiro para pagar. Vai haver um aumento forte do Judiciário. O funcionalismo federal ameaça greve se não tiver reajuste.
Tudo isso ocorre em um ambiente em que Lula e o PT criticam Dilma Rousseff. Em que o PMDB ameaça abandonar de vez o barco. Em um país em parte parado pelos escândalos de corrupção no governo e em grandes empresas privadas.
O plano de conserto da economia, neste ano, era modesto. Para que funcionasse bem, era preciso uma garantia de que as contas do governo estarão em ordem pelo menos daqui a dois anos, o que depende de planos econômicos mais ambiciosos, o que depende de apoio político.
Sem apoio e com piora econômica, fica mais difícil, bem mais difícil.

Veja também