TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Número de empregos com carteira assinada cai

Comentário de Economia, com Vinicius Torres Freire.

Número de empregos com carteira assinada cai Comentário de Economia, com Vinicius Torres Freire.
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
O número de brasileiros com trabalho diminuiu em 2015 e 2016. Neste ano, voltou a crescer, enfim. São mais de 1 milhão e 700 mil pessoas empregadas a mais que no ano passado.

Quer dizer, a desgraça parou de aumentar. Mas ainda estamos bem pobrinhos. Os empregos novos não são bons, na maioria. O número de empregos com carteira assinada ainda caiu 800 mil.

As vagas novas são de emprego sem carteira, por conta própria, bico, de gente que abriu um negócio ou no serviço público, no governo.

A taxa de desemprego, no entanto, é a mesma do ano passado. Como assim? Tem mais gente trabalhando e a taxa de desemprego é a mesma?
São dois números diferentes.

A taxa de desemprego é a proporção das pessoas que procura trabalho e não acha, em relação ao total das pessoas na força de trabalho.

Assim como tem mais emprego, tem mais gente procurando trabalho. O mercado melhorou um tiquinho, o pessoal foi tentar uma vaga. Muitos ainda não acham. Então a taxa de desemprego não diminui.

Ainda está em 12%. Não deve melhorar muito no ano que vem. Nas previsões mais otimistas, deve ficar em 11%. Antes da crise, em 2013, a taxa de desemprego chegou a 6,5%. Na grande recessão, quase dobrou.

Como tem mais gente trabalhando e o como o valor do salário médio cresceu um tiquinho, o total dos rendimentos dos trabalhadores, do Brasil inteiro, cresceu. Por isso estamos saindo da recessão, muito devagarinho.

Mais nada cresceu, no entanto. Aliás, continua a cair. Cai o investimento das empresas em novos negócios e máquinas. Cai o investimento do governo em obras.
Para 2018, isso deve mudar um pouco. Com mais gente ainda com emprego e com um pouquinho de investimento, o ano que vem deve ser melhor. Podemos crescer 3%, em vez desse minúsculo 1% neste ano. É uma diferença grande.

Espero estar errado e que o crescimento seja ainda melhor. É uma tristeza e uma angústia dar tanta notícia ruim, acreditem. Chega disso em 2018. Até um ano que vem muito bom para todos nós.

Veja também