TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Muçulmanos não ameaçam os valores cristãos

Muçulmanos não ameaçam os valores cristãos
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
Um fantasma circula na Europa. É o fantasma do preconceito contra os muçulmanos. O anti-islamismo é um racismo tão horroroso quanto o preconceito contra os judeus. O anti-islamismo se agravou com a chegada dos refugiados da Síria e do Iraque. Pelas últimas estatísticas, já foram 330 mil este ano. A situação é particularmente grave na Hungria, onde o primeiro-ministro, Viktor Orban, disse que não quer saber de muçulmanos no país dele. Na Polônia, o governo reagiu quase do mesmo jeito. O anti-islamismo teve três etapas na história recente da Europa. A primeira começou há uns 70 anos, quando as economias mais industrializadas precisavam de mão-de-obra barata. Foram os turcos na Alemanha, que hoje representam quase 4 por cento da população. Ou os paquistaneses no Reino Unido, com quase 5 por cento. Ou então os 8 por cento de marroquinos e argelinos, na atual população da França. A segunda etapa aconteceu com o 11 de setembro, depois dos atos terroristas da Al Qaeda. O muçulmano inspirava medo. E a terceira etapa começou com a crise dos refugiados. Foi por causa deles que grupos de extrema direita convocaram, há alguns meses, manifestações na Alemanha, na Inglaterra e na Dinamarca. Na Polônia, 44 por cento da população tem uma ideia preconceituosa dos muçulmanos. Em toda a Europa, eles são suspeitos de simpatias pelo terrorismo. Atribuem a eles clichês absurdos, como a ideia de que a religião deles permite maltratar as mulheres, e praticar nelas a mutilação sexual. O ser humano é um bicho capaz de atitudes irracionais e mesquinhas. Não existe racismo do bem. Não existe racismo defensável. E também não adianta argumentar que os valores cristãos estejam ameaçados pelos muçulmanos. Isso é uma mentira antropológica, é uma mentira histórica, é uma mentira política. E isso também prova até que ponto podemos descambar para a maldade, sob o pretexto idiota de proteger a nossa civilização. É assim que o mundo gira. Boa noite.

Veja também