TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

João Batista Natali/ Falta algum parafuso na cabeça de Maduro

João Batista Natali/ Falta algum parafuso na cabeça de Maduro
Logo do programa
Vamos falar da Venezuela. O presidente Nicolas Maduro antecipou em dois dias o carnaval. Hoje já é feriado no país. Nada de novo. No ano passado, ele também antecipou o Natal, dizendo que era para "derrotar a tristeza". O que Maduro quer agora é jogar um balde de água fria nas manifestações de rua contra o governo dele. Pois não funcionou. As passeatas prosseguiam hoje à tarde. Falta algum parafuso na cabeça de Nicolas Maduro. E dou dois exemplos. O primeiro: ele convocou a sociedade para um diálogo de paz. Mas não libertou um dos dirigentes da oposição que mandou prender na semana passada. Com os políticos ausentes, apenas dialogam alguns bispos, porque o papa pediu, e empresários da confederação patronal. O segundo exemplo. Maduro expulsou três diplomatas americanos e depois sete jornalistas da CNN. Voltou atrás com relação aos jornalistas. Mas espetou os Estados Unidos. Eis que logo depois pediu a abertura de diálogo com o governo de Barack Obama. Até nomeou, nesta quarta-feira, um embaixador venezuelano para Washington, um posto vago havia quatro anos. Mas recapitulemos: as manifestações de rua mexem com a Venezuela há 23 dias, e já deixaram 14 mortos. O sucessor de Hugo Chávez sabe que a sociedade venezuelana está dividida. Os bairros mais pobres de Caracas não aderem às passeatas dos bairros de classe média. Mesmo assim, os mais pobres reagem contra a inflação, criminalidade e falta de produtos de primeira necessidade. Protestam de madrugada, dentro de casa, quando as panelas viram tambores. São os "panelaços". O papa Francisco lançou um apelo ao diálogo. A União Europeia criticou a prisão de estudantes e de líderes da oposição. O presidente do Uruguai, José Mujica, se ofereceu como intermediário. Mas quem acertou o alvo foi o secretário-geral da OEA, a Organização dos Estados Americanos. O chileno José Miguel Insulza, disse que Maduro e opositores sofrem de surdez política e predisposição ao confronto. É assim que o mundo gira. Tema: Política internacional

Veja também