TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Em janeiro, inflação anual cai pela metade

Comentário de Economia, com Vinicius Torres Freire.

Em janeiro, inflação anual cai pela metade Comentário de Economia, com Vinicius Torres Freire.
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
A inflação está baixando muito mais rápido do que se esperava, enfim uma surpresa positiva na economia brasileira.
Preços menos salgados são, claro, sempre uma boa notícia. A inflação agora come menos os salários. Mesmo com reajuste salarial, a inflação alta ou subindo comia o aumento.
Em dezembro do ano passado, os salários na média conseguiram ganhar da inflação pela primeira vez em um ano e meio. É possível agora que as coisas continuem assim.
Se a inflação tira menos o nosso poder de compra, podemos comprar um bocadinho mais. Isso ajuda o país a sair da recessão. Devagarinho, pois a vida ainda está muito difícil.
Mas os preços ainda não estão altos. Sim. A gente pode e deve achar que o supermercado ainda está caro. Mas, na média, estão subindo cada vez mais devagar. Isso que significa dizer que a taxa de inflação está caindo.
Vejam o caso da inflação dos alimentos. Nos últimos seis meses, o preço médio de comida e bebia subiu 0,2%. Isto é, quase não subiram. Nesta mesma época, no ano passado, estavam subindo a 7% por semestre. Um horror.
Não foi só na comida que a inflação baixou de ritmo, embora o tempo melhor desde a metade do ano passado tenha ajudado a produzir uma safra de alimentos grande, portanto mais barata.
A inflação em janeiro do ano passado estava subindo a 10,7%. Agora, a 5,35%. Caiu pela metade. Em parte, também, porque a recessão e a falta de dinheiro são tão grandes que diminuiu a procura. Muito produto fica sem comprador, o preço cai.
Se a inflação cai mais rápido, o Banco Central pode e deve baixar os juros mais rápido também. Com juros mais baixos, as empresas ficam com menos medo de investir.
Mais adiante, a baixa de juros deve chegar ao crediário, às compras parceladas, ao crédito do carro e da casa própria, que devem ficar menos amargos.
Isso tudo não quer dizer que a crise acabou. Parece que a gente enfim deve parar de piorar neste início do ano. Como um doente muito grave saindo da cama, a gente vai andar devagar. Além do mais, essa política suja e confusa do Brasil pode provocar uma recaída.
Mas, por enquanto, vamos aproveitar pelo menos uma boa notícia.

Veja também