TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

É possível reverter o cenário pessimista de 2016

É possível reverter o cenário pessimista de 2016
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
2015 está chegando ao fim. Agora falta pouco. Um ano que não vai deixar saudade. Crise em cima de crise. Um retrocesso pesado da maior parte dos indicadores. Recessão que vai ficar em cerca de 3,7% do PIB, a pior em 25 anos, inflação, de novo, em dois dígitos, podendo encostar nos 11%, juros nas alturas, custo do crédito batendo recordes, desemprego em alta. E ainda tem a crise política, a ética, moral. Um emaranhado que provocou quedas históricas nos índices de confiança. Essa foi outra crise.. a de confiança. Virada do ano é hora de apostar em renovação, em um recomeço. Só que 2016 vai herdar boa parte dessas crises. Muita coisa não foi solucionada... impeachment, a situação de Eduardo Cunha, as investigações da Lava Jato, a crise econômica. Por enquanto, as projeções não são otimistas. Deve ser mais um ano de recessão, com inflação elevada, juros mais altos ainda, pra tentar segurar o avanço da inflação, mais desemprego. Mas dá pra melhorar esse cenário. Um desfecho para a crise política, estabelecendo uma relação mais produtiva entre governo e Congresso, já ajudaria. O governo, mesmo com toda a perda de credibilidade e o rebaixamento da avaliação do Brasil, pode acelerar as concessões de infraestrutura, transferindo para a iniciativa privada projetos em áreas como de transportes. Também dá pra cuidar mais das exportações, que já devem ser favorecidas pelo dólar mais alto. E pode assumir uma postura realmente responsável em relação às finanças. Ainda que tenha dificuldade, por causa da arrecadação mais fraca, pode trabalhar melhor a redução dos gastos, propor reformas que criem expectativas melhores de médio prazo. É preciso que haja compromisso, de fato, com uma meta de superávit fiscal e de inflação. Qualquer flexibilização nesse sentido pode fazer 2016 repetir 2015. Tomara que isso não aconteça e tenhamos, todos, um ano muito melhor. Feliz ano novo. Até segunda.

Veja também