TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Crise política na estável Alemanha

Comentário de Política Internacional, com João Batista Natali.

Crise política na estável Alemanha Comentário de Política Internacional, com João Batista Natali.
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
Quem diria, que o parlamentarismo, responsável pela estabilidade política da Alemanha, inventou agora de mergulhar o país na crise mais chata desde 1949. Vamos recapitular. As eleições legislativas foram no final de setembro. E na noite de anteontem, foram rompidas as negociações para a formação de um novo governo. A ruptura partiu do partido liberal, que elegeu 80 dos 709 deputados. Ele inventou de última hora que não concordava com os sociais-cristãos, da chanceler Angela Merkel. O pretexto era a imigração e a política energética do governo. O partido de Merkel é o maior da Alemanha, com 246 deputados. O plano era fazer uma coalizão, também com os 67 deputados do Partido Verde. O presidente da República, que manda muito pouco, e que se chama Frank-Walter Steinmeier, convocou hoje os sociais-cristãos, os liberais e os verdes, e procurou convencê-los a voltar à mesa de negociações. Se não der certo, existem agora duas possibilidades. Ou Angela Merkel desiste de chefiar um novo gabinete, e os sociais-cristãos indicam outra liderança. Ou então a chanceler continua no comando do partido, e novas eleições serão convocadas para o começo do ano que vem. O curioso, nisso tudo, é que a crise não foi nem remotamente provocada pelos nacionalistas da extrema-direita, do partido AFD, que elegeu 94 deputados. Eles são hoje na política alemã uma espécie de bancada dos leprosos. Ninguém quer ficar perto deles. O que é ótimo. E existe ainda a torcida de dois governos estrangeiros, para que Angela Merkel quebre a cara e se aposente, depois de 12 anos na chefia do governo da Alemanha. Essa torcida vem do americano Donald Trump e do russo Vladimir Putin. Mas com relação a isso eu estou tranquilo. É claro que os dois não votam, e ainda por cima têm uma influência muito pequena sobre os eleitores alemães. É assim que o mundo gira. Boa noite.

Veja também