Vídeos

 
Exclusivo

Brasil, campeão mundial de mortos a tiros. E Bolsonaro prega “matar petralhada”

0:00 / 0:00

E agora vamos ao comentário de política com Bob Fernandes.

O Supremo avalizou terceirização irrestrita. A responsabilidade passa a ser das terceirizadoras... E se elas quebrarem?

A responsabilidade será do patrão, Estado ou privado. Na vida real? Entre na fila e queixe-se ao juiz. Ou ao bispo... Grande queima de carteiras de trabalho.

Surrado clichê, mas o incêndio no Museu Nacional no Rio, neste domingo, soa metáfora do que vive e morre no Brasil.

O Palácio foi residência da família real portuguesa. E dos Imperadores do Brasil. Ali foi votada a primeira Constituição da República.

A História virou cinzas porque cortaram verbas nos últimos 4 anos. Cortes na Cultura como um todo.

Não falta verba para o aumento nos salários dos ministros do Supremo, teto para demais.

Acordo fechado com Temer e o Supremo se deu aumento de 16,38%. Salários saltam de 33 para R$ 39 mil.

Impacto previsto para aumentos em cascata: R$ 4 bilhões/ano. R$ 1 bilhão e 400 na União, R$ 2 bilhões e 600 nos Estados.

Investimentos, educação ou saúde pagarão essa conta.

E o TSE decidiu: Lula não pode ser candidato. Mesmo não tendo sido julgado na última Instância. Que é o Supremo

Ares e manchetes de suspense. Para uma decisão aqui anunciada desde muito antes do início desse processo.

Sem Lula, Bolsonaro lidera. No Acre, empunhando um tripé como arma, Bolsonaro disse: "Vamos fuzilar a petralhada".

Disse isso quando o Brasil acabava de ganhar um título mundial: de responsável por 25% dos homicídios a tiros no planeta Terra.

Quem pariu isso, e esse discurso, agora o embala.Ou tenta se limpar mudando de pele.


Conteúdo disponível em Jornal da Gazeta .

O Jornal da Gazeta mostra as principais notícias do dia, reportagens exclusivas e análises feitas por comentaristas especializados.