TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Água, luz, gás e combustíveis sobem

Comentário de Economia, com Denise Campos de Toledo.

Água, luz, gás e combustíveis sobem Comentário de Economia, com Denise Campos de Toledo.
Logo do programa Jornal da Gazeta
Jornal da Gazeta
A Aneel estuda a mudança no cálculo das bandeiras de energia, que ficariam mais caras, e na forma como são aplicadas. É quase certo que a bandeira vermelha nível 2 continue em novembro, mantendo as contas de luz mais caras. com acréscimo de R$ 3,50 a cada 100 quilowatts consumidos. Só que isso não está compensando o uso das termelétricas, que tem um custo bem mais alto. Elas são acionadas diante da escassez de chuvas e a baixa de reservatórios, que compromete o fornecimento das hidrelétricas. Ainda que haja cobrança extra até final do ano, os custos não devem ser cobertos e há uma preocupação com o equilíbrio financeiro do sistema. Já houve tempo em que se acreditou que seria possível manter tarifas mais baixas de energia na base da canetada. Foi o que aconteceu em 2012. As tarifas foram cortadas, desestruturando todo o sistema, e, depois, pra tentar corrigir as distorções, veio o tarifaço, com reajuste médio de 60% em apenas um ano. Mesmo que, agora, se tenha justificativa pra mais aumento, fica evidente a fragilidade da matriz energética do País. É preciso ampliar investimentos pra evitar o aumento de tarifas para as famílias e empresas e para maior segurança. Isso tudo está acontecendo num período de atividade ainda fraca da economia. Um crescimento mais acelerado pode provocar novos apagões, como tantos que vimos no passado. O governo tem buscado ampliar o uso de energia limpa, como a aeólica, do vento; acelerar as concessões na área de energia, mas é uma corrida contra o tempo. E vale observar que o ajuste financeiro não ocorre apenas na área energética. Estamos tendo de encarar aumentos frequentes dos combustíveis e do gás, porque a Petrobrás tem uma nova política, que acompanha os custos. A empresa deixou de ser instrumento de controle da inflação, o que é positivo do ponto de vista empresarial, faz parte da reestruturação, mas tem um impacto para os consumidores, quando os custos sobem. A água também está subindo em vários Estados. Enfim, os preços administrados, segundo projeções dos analistas de mercado, devem avançar, em média, 6,82% este ano, contra a inflação prevista em 3,06%. É mais que o dobro. Não vai atrapalhar os índices, porque a inflação continua rodando num nível baixo. Outros preços, como alimentos, ainda em deflação, compensam. Agora, para os consumidores, a conta fica mais alta. Volto na quinta. Até lá.

Veja também