Apostas de futebol evidenciam o declínio do São Paulo e de Fernando Diniz na temporada atual

Quando o formato de torneio de liga chegou ao Campeonato Brasileiro no começo dos anos 2000, veio com ele as críticas sobre um sistema que não conta com a “emoção” de um “mata-mata” que pode resultar em surpresas como o Santos campeão de 2002. A contrapartida é que o “mata-mata” prejudica justamente os clubes com trabalho consistente – que até podem enfrentar altos e baixos ao longo da temporada, mas que entregam bons resultados nas horas apropriadas.

Mas na temporada atual, está difícil encontrar um time que possa ser apontado como aquele que fez o melhor trabalho ao longo do ano, e que hoje é merecedor do troféu da Série A. As apostas de futebol da Betfair apontam isso de forma clara, com Internacional e Flamengo disputando a preferência dos mercados de aposta rodada a rodada. Enquanto isso, adversários de outrora como Atlético Mineiro e São Paulo são deixados para trás.

E ao se falar do Tricolor Paulista, fica difícil não deixar de lado os desenvolvimentos mais recentes que tomaram lugar no Morumbi. O São Paulo, que foi líder do Brasileirão por 14 rodadas, viu-se em um declínio quase que inexplicável. Logo não se viu outra saída para o descenso repentino, além da saída do técnico Fernando Diniz após uma derrota por 2 a 1 contra o Atlético Goianiense.

O ex-técnico do São Paulo tornou-se uma figura polarizante no futebol brasileiro mesmo sem querer faze-lo. De um lado, vê-se os defensores do seu estilo de jogo mais focado em posse de bole e ofensividade, que contrasta com o conservadorismo e o foco defensivo que dominavam a “escola” de técnicos brasileiros desde a década de 2000. Do outro lado, vê-se críticos ferrenhos a Diniz justamente pela fragilidade defensiva dos seus times, além da incapacidade do técnico de conseguir bons resultados regularmente a partir do futebol praticado pelo mesmo.

No São Paulo, Diniz teve mais uma chance de provar estes críticos que sua filosofia de jogo era algo que vale a aposta dos dirigentes brasileiros de clubes de futebol, que não são tão conhecidos pela paciência. Mas pelo menos com o time paulista, Diniz não poderá reclamar que não teve chances de redenção.

Já no começo da temporada 2020-21, o São Paulo se viu eliminado do Campeonato Paulista pelo Mirassol nas quartas de final do torneio. Um resultado semelhante no Santos custou o emprego do então técnico Jesualdo Ferreira. Entretanto, Diniz foi mantido no posto para tentar recuperar a temporada.

Eliminações precoces na Copa Libertadores e na Copa Sul-Americana, assim como a derrota para o Grêmio na semifinal da Copa do Brasil por um placar agregado de 1 a 0, foram deixadas de lado em prol da boa campanha feita no Campeonato Brasileiro. E não se pode deixar de se reconhecer que os resultados na liga eram muito bons, incluindo vitórias significativas como o 4 a 1 sobre o Flamengo em pleno Maracanã, e um a 3 a 0 contra o Atlético Mineiro no Morumbi.

Mas a partir da virada do ano, o destino do São Paulo mudou. Desde a derrota surpreendente contra o Red Bull Bragantino por 4 a 2, com o time do interior paulista ocupando à época o 13º lugar da tabela, o Tricolor não encontrou mais o caminho da vitória. A sequência de quatro derrotas e dois empates nos últimos seis jogos do time, e os problemas dentro do elenco são-paulino que foram piorados pelos resultados, levaram à demissão do técnico.

Em comparação a outros técnicos brasileiros, Diniz ainda é bastante jovem. Aos 46 anos, ele ainda tem muito potencial a ser explorado. Entretanto, este processo depende também da sua capacidade de autorreflexão e de aprender com os próprios erros do passado.

Taticamente, o futebol de Diniz ainda é um dos melhores do Brasil. Mas o sucesso no campo e bola vai muito além das escolhas de elenco e dos treinamentos realizados para que estas táticas sejam implementadas da forma mais fidedigna possível. Como o recente sucesso de Abel Braga tem mostrado no Internacional, é preciso também desenvolver o lado do relacionamento interpessoal para que estes planos sejam seguidos à risca pelo elenco, levando assim a bons resultados dentro das quatro linhas.

conteúdo de marca