Fabricio Carpinejar entrevista o escritor português Valter Hugo

Yuri Andreoli
Yuri Andreoli

Nesta terça-feira, dia 15, às 23h30, o programa A Máquina, da TV Gazeta, recebe o escritor, cantor e apresentador português Valter Hugo Mãe. Durante a entrevista, Valter falou sobre sua literatura, personalidades e relacionamentos.


No início da conversa, o escritor falou um pouco de como a poesia influenciou sua literatura: “Fui lendo muita poesia. Sempre quis muito ser poeta e talvez eu seja um poeta meio espalhado na prosa”. Sobre esta influência, ele revela: “No meu caso, a identidade literária vem da poesia”.


Quando o assunto chegou em relacionamentos, o poeta se mostrou um tanto liberal: “Eu quero que as pessoas sejam todas livres”. Por esse pensamento, Valter diz achar o casamento plural uma tendência: “O casamento é um acordo, nós hoje disciplinamos muito a afetividade”. Mas apesar disso, o escritor afirmou que sempre foi fiel: “Sou profundamente fiel. Dizendo ‘sim’, eu fico”, disse, referindo-se a compromissos.


O português também falou sobre as fãs: “Eu queria me desdobrar, casar com todas, fazer todas felizes e escrever um livro de cada uma delas”. Já no final da entrevista, Valter se emocionou ao contar sobre um milagre que lhe aconteceu quando criança, época em que tinha um problema sério de verrugas nas mãos: “Um dia fui a uma capela e pedi a São Bento para me curar. Eu deitei e acordei curado. Os esparadrapos que os médicos colocavam desapareceram”. Sobre a situação, o escritor completou: “Aquilo me deu a prova de que muita coisa não tem explicação”.


A entrevista completa vai ao ar na TV Gazeta próxima terça-feira, 15 de setembro, às 23h30.