Fabrício Carpinejar recebe Supla em “A Máquina”

Foto por Amanda LuccasNesta terça-feira, 13 de setembro, o programa <strong>“A Máquina” </strong>recebe o cantor e apresentador <strong>Supla</strong>. No bate-papo com Fabrício Carpinejar, ele fala sobre punk, relacionamentos e carreira.

Com a marca registrada “Crazy!”, Supla explica sua origem na entrevista: “Com 6 meses de idade meus pais ganharam bolsa e a gente foi pro EUA, por isso que eu falo essas coisas, é natural para mim”, explica.

Já sua história com a música teve início no Brasil: “Na frente dos meus avós morava o Flavio e a família dele. E foi aí que eu peguei o gosto pela música”, relembrando o companheiro de sua primeira banda “Os Impossíveis” aos 14 anos de idade.

Representante do movimento punk, Supla relembra como conheceu o estilo: “Vi uma banda chamada Murphy’s Law e uns caras se batendo. Eu nunca tinha visto aquilo na minha vida, fiquei impressionado” disse. Segundo o músico, “era uma coisa onde juntavam pessoas que estavam com os mesmos pensamentos, mesmo problema e tinha uma atitude punk”.

Supla que já tem um livro sobre sua carreira, o “Crônicas e Fotos do Charada Brasileiro”, falou sobre um dos momentos mais marcantes de sua trajetória: “Foi uma conquista pessoal e profissional tocar na BBC de Londres. Estar lá com o João foi uma coisa maravilhosa para a gente”.

Sobre relacionamentos com fãs, ele diz: “Eu acho que dá, mas você tem que ter espaço para saber admirar ela (fã)”, opinou Supla que foi trocado por R$ 50 mil reais na última edição de “Papito In Love”, na MTV.

Confira o teaser da entrevista no link.

O programa vai ao ar nesta terça-feira, 13 de setembro, às 23h30.


Conteúdo disponível em A Máquina .

A Máquina é o personagem central de um programa de entrevistas diferente: ela é quem conduz a conversa entre seu apresentador e seu convidado "capturado".