Fabrício Carpinejar recebe Arthur Veríssimo em “A Máquina”

Foto por Beatriz Vecchi

Nesta terça-feira, 20 de setembro, o programa “A Máquina” recebe o jornalista Arthur Veríssimo. Conhecido pela prática do jornalismo gonzo, estilo de narrativa que se mistura com a ação, ele fala sobre a profissão.

No programa, Veríssimo compartilhou sobre como lida com os hábitos durantes as viagens: “Para qualquer parte do mundo que eu vou, eu levo meu tapetinho de yoga para fazer alongamento”. Se autodenominando “Caçador de culturas”, ele conta sobre os benefícios da profissão: “Eu tive a oportunidade pelo fato de ser jornalista, de ser um documentarista, de olhar os anônimos, os seres humanos, esses que não são o universo da celebridade. ”

Apesar do contentamento, ele desabafa sobre as críticas: “As pessoas falam ‘ o que o Arthur faz não é bem jornalismo’. Cara, eu faço um tipo de jornalismo expedicionário”, e explica: “Eu faço parte de uma tradição de viajantes”. Sempre em contato com diferentes rituais espirituais, ele conta: “A gente vai colhendo essas fragrâncias, esses temperos e vai colocando dentro de si. Na maioria das vezes você é taxado de louco, no meu caso”.

Ainda sobre a profissão, ele contou sobre os resultados da prática: “Ela estimula as pessoas a fazerem coisas legais”. E exemplifica: “A Glória Maria estava fazendo sobre a Jamaica e você viu que ela se transformou numa heroína nacional só pelo fato de estar na Jamaica fazendo um documentário”, comentou: Ela foi gonzo”.

O programa vai ao ar na próxima terça-feira, às 23h30, na TV Gazeta.

 


Conteúdo disponível em A Máquina .

A Máquina é o personagem central de um programa de entrevistas diferente: ela é quem conduz a conversa entre seu apresentador e seu convidado "capturado".