TV Gazeta TV Gazeta logo TV Gazeta +551131705643 TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!
Av. Paulista, 900 - Bela Vista 01310-940 São Paulo, Brasil
TV Gazeta TV Gazeta, Receitas, Mulheres, Cozinha Amiga, Fofoca Aí, Revista da Cidade, Você Bonita, Gazeta Esportiva, Mesa Redonda, Jornal da Gazeta, Edição Extra, Gazeta Shopping TV Gazeta - Programação ao vivo, receitas, notícias, entretenimento, esportes, jornalismo, ofertas, novidades e muito mais no nosso site. Vem pra #NossaGazeta!

Fabrício Carpinejar entrevista Pedro Cardoso em “A Máquina”

Créditos: Ricardo Nóbrega

 

Nesta terça-feira, 2 de agosto, o ator Pedro Cardoso é o convidado do programa “A Máquina”, da TV Gazeta. Na entrevista com Fabrício Carpinejar, ele falou sobre o trabalho atual, televisão e seus arrependimentos.

Em cartaz com a peça “O Homem Primitivo”, em São Paulo, Pedro comentou sobre sua relação com o palco: “Eu sou um homem de teatro. A televisão foi uma circunstância econômica”. Sucesso na televisão com o personagem Agostinho Carrara, em Grande Família, ele falou sobre a fase na Rede Globo: “A TV oferecia uma coisa que era muito fascinante, que era um salário fixo. A vida econômica organizada ajuda a organizar um pouco a sua relação com o mundo”.

Pedro também falou sobre os caminhos da fama: “Ganhei muito dinheiro na publicidade, mas com profunda angústia”. Fruto do reconhecimento na série, ele contou sobre: “Me arrependo de ter feito alguns filmes de publicidade sobre produtos, mesmo agressivos, como planos de saúde. A gente sabe que o plano de saúde vive no Brasil da falência da saúde pública”. E ainda justificou: “Fiz coisas que eu não acho que foram boas para quem viu, não tenho orgulho”.

Hoje, com uma carreira mais tranquila, o ator refletiu sobre os aprendizados do ofício: “A estrutura profissional que eu conheci, mesmo em televisão ou teatro, é uma estrutura que poda muito a liberdade dos artistas envolvidos”.

Sobre o atual trabalho no qual também é Diretor, explicou: “A peça não é depressiva e nem deprimente, ela propõe uma reflexão sobre as razões mais profundas”.

Ainda no programa, ele criticou a geração atual e desabafou: A vida no Brasil é muito dura para quem não tem dinheiro. Os serviços públicos são muito ruins”. E completou: “A gente que ganhar dinheiro para sair do serviço público”.

O programa vai ao ar na próxima terça-feira, 02 de agosto, às 23h30.